Pão e circo para o povo

Por: João de Tidinha

A frase “pão e circo para o povo” foi dita há muito tempo pelo imperador romano Vespasiano, quando da construção do Grande Coliseu. Naquela época a escravidão na zona rural fez com que vários camponeses perdessem o emprego e migrassem para a cidade. O crescimento urbano acabou gerando problemas sociais e o imperador, com medo que a população se revoltasse com a falta de emprego e exigisse melhores condições de vida, acabou criando a política “panis et circenses”, a política do pão e circo.

Aquele método era muito simples. Todos os dias havia lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu) e durante os eventos eram distribuídos alimentos (pão e trigo). O objetivo era alcançado, já que ao mesmo tempo em que a população se distraia e se alimentava também esquecia dos problemas e não pensava em se rebelar.

O incrível é que essa frase tão antiga continua presente e atual na forma de alguns governantes fazerem política.

Podemos observar que esses governantes procuram distrair a população com eventos, festas ou “inaugurações” fúteis que em nada contribuem para melhoria das condições de vida do cidadão. Ao invés de procurar “investir” na educação e saúde da população, bem como na geração de empregos, eles preferem simplesmente “gastar” em festas e comemorações com o propósito de distrair a população, evitando que ela se conscienteze da sua realidade.

É claro que diversão é importante para qualquer pessoa. Contudo, ela não deve ser a prioridade nem se constituir em instrumento de manobras dos governantes. Estes devem se concentrar nas ações que realmente possam provocar mudanças na condição de vida do povo, dando-lhes oportunidades para sua evolução pessoal e social. 

Vivemos o circo de escândalos políticos, da corrupção e da impunidade e continuamos encantados e sem nenhuma reação ao vermos os imperadores modernos que se valem do discurso fácil, inútil e cheios de promessas.

Os governantes devem perceber que essa política está ficando ultrapassada e que eles serão cobrados pela não realização de investimentos necessários nas áreas da saúde e da educação, bem como na qualificação da mão-de-obra tão necessária à formação dos jovens. Aquela velha frase “não se dá o peixe, se ensina a pescar” pode ser definida como princípio básico de desenvolvimento em qualquer sociedade. Porém, ainda existem governantes que preferem continuar com a política do pão e circo do imperador Vespasiano.

O imperador pensava: “O que mais precisam? Tendo isso, eles não querem mais nada. Não têm perspectiva, não têm objetivos grandiosos. Querem só comer e se divertir”. Assim cresceu o império romano.

Mas havia uma minoria do povo que não era controlada e nem dependia do imperador. E essa minoria tinha o propósito de realizar mudanças, as quais foram facilitadas pelas conspirações e traições palacianas que acabavam por abrir uma lacuna de corrupção no governo regente que era desmantelado. Porém, o governo seguia, já que o importante era manter o povo calado. Calado e contente com as esmolas que recebiam, a qual temiam perder caso houvesse uma revolta. Anfiteatros para peças e lutas de gladiadores eram construídos, e o mísero pão era distribuído como um gesto de grande “generosidade” e “solidariedade” dos governantes.

Pão e circo para o povo. Educação não. Educação é prejudicial. Educar o povo é abrir seus olhos para a sua triste realidade, que causa indignação nos que a compreendem, mas são a minoria. Uma minoria esmagada por um exército de “espertos” que continuam sorrindo com sua política de pão e circo, sem nenhuma visão de futuro e destruindo os sonhos das novas gerações.

Que tal ao povo, livro e Informação?

9 comentários

  1. Margarida Batista  on October 18th, 2009

    Enquanto isso em Euclides e tantos outros municipios, se fizerem um cadastramento, vão verificar que muitas moradias não têm nem latrina, para os mais cultos, instalações sanitárias. Muitas pessoas estão vivendo em condições sub-humanas. Cheguem até o povoado de Pai Thomé, até na propria sede e verifiquem esta realidade!!!!

  2. Silvano Dantas  on October 19th, 2009

    Isto infelismente é fato, mas pergunte ao povo, certamente ouvirá, que isto basta, e com tal mentalidade continuamos e continuaremos dominados por pessoas cheiros de “generosidade”.

    Hernesto Che Guevara disse ao povo cubano apos a sua revolução: Devemos educar cada cidação, pois um homem sem educação é mais facil de doma-lo. +/- por ai.

  3. PAULO ROBERTO NOLASCO FARIAS FILHO  on October 19th, 2009

    PARABÉNS PELA MATÉRIA. ENCAIXA-SE PERFEITAMENTE COM A REALIDADE DE NOSSO MUNICÍPIO. FALTA DINHEIRO PARA TUDO, MENOS PARA EVENTOS EM QUE INCLUAM UM PALANQUE.
    ESCOLAS E POSTOS DE SAÚDE DESATIVADOS, E OS GESTORES ESTÃO SE LIXANDO PARA ISSO. SÓ GUARDANDO DINHEIRO. FAZENDO CAIXA. DINHEIRO GASTO COM AS FESTAS NOS POVOADOS, FESTA DAS CRIANÇAS….MAS CADÊ O PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS DO FUNCIONALISMO. FOI PROMESSA DE CAMPANHA!

  4. Euclidense  on October 24th, 2009

    O interessante que os mesmos que criticam, são aqueles que no futuro viram aliados dos criticados e quando chegam ao seu objetivo (O PODER), esquecem do povo. Temos como exemplos recentes o ex presidente Fernanado Henrique que disse em relação ao livreo que escreveu na época da ditadura “esqueçam tudo que eu disse no passado” e o o atual Lula que defende ardoamente José Sarney a quem antes quando era oposição criticava.
    Em euclides é a mesma coisa, pois “AQUI TAMBÉM É BRASIL” e os que querem de verdade o progresso são suicidados.
    Portanto o recado que eu deicho é o seguinte, cada um faça sua parte e não se deiche levar por dor de cotovelo de de alguns, pois esses só falam porque não estão no poder e os que estão é como diz a matéria “pão e circo para o povo”.ENTÃO VAMOS TODOS VOTAR NULO POQUE SÓ ASSIM PODEREMOS TER NOVAS ELEIÇÕES COM PESSOAS NOVAS, e se mesmo assim não der certo o Brasil não tem jeito mesmo.

  5. Patrícia  on February 10th, 2010

    O que acho interessante é que o que agrada a massa é algo que não engradece o ser humano do lado intelectual e nem espiritual. Um trio elétrico tocando e uma bebidinha de lado. O consciência social vai para o brejo.

  6. edgard ximenes machado - Varginha/MG  on March 25th, 2013

    Copa do mundo em 2014 e olimpíadas em 2016. No Brasil não falta pão e circo, mas falta honestidade. Não custa lembrar que prioridade é uuma questão de bom senso…

  7. geraldo alves da silva  on May 10th, 2013

    Precisamos abrir os olhos dos nossos irmãos, dizendo para eles que não se conformem com essa situação política que nos oferecem, queremos pelo menos o essencial. Saúde, Educação, Emprego, Segurança, Justiça, Estradas, Punição para todos, etc.

  8. katia costa roriz arruda  on June 25th, 2013

    É lastimável que uma forma tão pobre de dominar as massas (povo) tenha perdurado por tanto tempo. Graças a Deus houve um despertar em junho de 1913.Antes tarde do que nunca.Que dessa vez o Brasil mantenha a consciência da sua importância,apesar de tão pobre pão e tão excessivo circo.

  9. eliane torres mourao de souza  on June 24th, 2014

    o triste disso tudo é ter a certeza de que nao vai mudar nem tao cedo,,,,,,, o povo se contenta c muito pouco,,,,, e tambem nao pensa no coletivo e sim no individual sempre,,, triste muito trite isso tudo mais é real,,,,,,,,, otima a materia,,, valeu,,,,,


Comente esta matéria