Presidenciáveis usam janela partidária para montar palanques

Aberto nesta quinta-feira, prazo para mudança de partidos deve ajudar candidatos à presidência

Além de alterar o tamanho das bancadas na Câmara, a abertura da janela para troca de partidos, na próxima quinta-feira, também servirá para os presidenciáveis acertarem os ponteiros de olho nas campanhas ao Planalto. Dois grandes atos estão marcados para esta semana em Brasília, dando início ao processo eleitoral. Amanhã, Jair Bolsonaro (PSC-RJ) assina sua ficha de filiação ao PSL, na Câmara, e deve carregar outro grupo de 10 a 15 deputados de vários partidos, principalmente da chamada “bancada da bala”, de acordo com a contabilidade de aliados. Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), usará a convenção nacional do partido, na quinta-feira, para lançar sua pré-candidatura e oficializar a adesão de mais uma leva de parlamentares, principalmente do PSB.

ENQUANTO ISSO: Apesar de bom desempenho nas pesquisas, Marina Silva enfrenta o afastamento de aliados

O ato de filiação de Bolsonaro estava anteriormente marcado para acontecer em um auditório de comissão do prédio da Câmara. Mas a previsão é que haverá um grande número de apoiadores e agora procuram um local maior. O deputado Delegado Waldir (GO), que deixará o PR para seguir junto com o presidenciável, diz que “vai ser um barulho bom”. A lista das adesões está sendo articulada pelo deputado delegado Fernando Francischini (PR), que deixará o SD para ser um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro.

O GLOBO

Comente esta matéria