Oposição afirma que Bahia no topo da violência reflete descaso com segurança e educação

A Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia mirou na lacuna de investimentos na educação e segurança pública pelo governo do estado, nos últimos anos ao repercutir os dados do Atlas da Violência 2018- Ipea e Fórum da Segurança que mostram a Bahia com cinco cidades mais violentas do país.

Embora o governo não admita, a baixa aplicação de recursos nas pastas de Segurança e Educação reflete o descompasso social que têm levado milhares de adolescentes e jovens a situação de vulnerabilidade no estado.

“O governo insiste nas mesmas táticas falhas de segurança pública e os dados continuam alarmantes. Não é possível que o governador Rui Costa não enxergue essa falta de controle”, criticou o líder da Oposição, deputado Luciano Ribeiro.

Aparecem entre as primeiras as cidades de Eunápolis, Simões Filho, Porto Seguro, Lauro de Freitas e Camaçari. Essa semana o Mapa da Violência também mostrou que a Bahia é o estado onde mais ocorreram homicídios de jovens em 2016, ano de base da pesquisa. Além disso, o número de homicídios aumentou 123% na última década.

Assassinatos de policiais, disputa entre facções, aumento das quadrilhas de tráfico de drogas, arrombamentos e explosões de caixas eletrônicos são alguns dos exemplos, conforme os deputados da Oposição. No último final de semana foram contabilizados 31 assassinatos em Salvador e Região Metropolitana.

Comente esta matéria