Pré-candidatos à Presidência buscam alianças enquanto atenção do eleitor não se volta para campanha

Longe da Copa e cada vez mais pertos das urnas, os presidenciáveis se mobilizam para angariar apoio e superar desconfianças nos meios políticos e econômicos enquanto a atenção do eleitor não se volta para as campanhas.

A tentativa de Ciro Gomes (PDT) de se aproximar do mercado financeiro esbarra na falta de sintonia com seu próprio assessor para a área econômica.

Os caminhos de Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL) se cruzam na busca por aliados. O tucano cogita adiar a convenção nacional do partido à espera do “centrão”, enquanto Bolsonaro corre o risco de perder palanques nos cinco maiores colégios eleitorais.

Já Marina Silva (Rede) enfrenta dois dilemas: tem dificuldades para formar alianças e se preocupa com a sobrevivência do partido. Contra a cláusula de barreira, aposta em uma “bancada indígena”.

Informações de O GLOBO

Comente esta matéria