Depoimentos reforçam suspeita do Ministério Público de conluio em barragem de Brumadinho

BRUMADINHO, MG, BRASIL, 29-01-2019, 12h00: Estragos causados pela Lama após o rompimento da Barragem na Mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, COTIDIANO)

Painel

No rastro da lama Depoimentos colhidos pelo Ministério Público Federal ampliaram as suspeitas de procuradores de que a Vale e a empresa alemã que deveria auditar a estrutura da barragem de Brumadinho (MG) atuavam em conluio para omitir problemas na obra. Os investigadores veem indícios de que a mineradora apresentou documentos incompletos e maquiados. E a Tüv Süd, por sua vez, pode não ter cumprido todo o protocolo de verificação da segurança do empreendimento.

Entreouvido Relatos colhidos pelo MPF no último fim de semana deram conta de que, internamente, circulou na Vale a informação de que havia uma liquefação na barragem de Brumadinho.

Calma nessa hora A apreensão que, após o desastre, se criou em torno da barragem de Congonhas, também em Minas, fez integrantes da CSN ressaltarem que 1) a edificação não é do mesmo modelo que a de Brumadinho e 2) laudo do Ministério Público atestou a segurança da obra há nove meses.

Por: Daniela Lima

Postado UOL

 

Comente esta matéria