Márcio de Abreu fala sobre o livro “O Efeito Negro Encantado” publicado no dia 17 de fevereiro.

“As maneiras pelas quais identidades étnico-raciais são representadas nos/pelos meios de comunicação de massa, muitas vezes servem ao propósito de ajustar o público às realidades sociais, econômicas e políticas das relações raciais da vida real em uma determinada sociedade.

A partir de uma análise crítica do comercial político American Stories/American Solutions (veiculado pela campanha de Barack Obama durante as eleições presidenciais de 2008, nos Estados Unidos) e dos regimes de representação étnico-racial historicamente produzidos no/pelo cinema hollywoodiano, O Efeito Negro Encantado procura demonstrar de que maneira identidades étnico-raciais são cinematograficamente construídas, como os significados raciais nelas e por elas produzidos se relacionam com as realidades políticas e sociais de períodos históricos específicos, e os discursos ideológicos de supremacia racial que essas representações reproduzem. 

Partindo da materialidade do comercial, procurei demonstrar de que maneira American Stories/American Solutions reproduz os esquemas fílmico-narrativos dos filmes com Negros Encantados (Magical Negro Films – gênero hollywoodiano introduzido no cinema americano durante a década de 1990), defendendo a hipótese de que as estratégias de representação étnico-racial adotadas pelo comercial são capazes de produzir um efeito de atenuação dos temores e ansiedades raciais do eleitorado branco-americano em relação à possibilidade de eleição do primeiro homem negro à presidência dos Estados Unidos – ou o que resolvi chamar de “Efeito Negro Encantado”.

Neste livro, defendo a tese de que, assim como no caso dos filmes com Negros Encantados, American Stories/American Solutions reproduz um discurso subjacente de normatividade branca e de subalternização da identidade negra, além de produzir um efeito de invisibilização do racismo americano, reforçando, de maneira implícita, uma ideologia de daltonismo racial.

Para além de um estudo sobre apelos raciais implícitos em campanhas eleitorais, esse trabalho parte de um campo específico para demonstrar de que maneira os regimes de representação étnico-racial produzidos no/pelo audiovisual são capazes de mediar nossas experiências cotidianas e nosso entendimento do mundo.” (Márcio de Abreu sobre o livro “O Efeito Negro Encantado” publicado no dia 17 de fevereiro de 2019 no evento denominado DIÁLOGO DEVIRES, realizado no TEATRO GREGÓRIO DE MATOS situado na PRAÇA CASTRO ALVES de SALVADOR, BAHIA).

MÁRCIO DE ABREU é formado em História com concentração em Patrimônio Cultural pela Universidade Católica de Salvador, com Mestrado em Teoria Crítica e Estudos Culturais pela University of Nottingham (Reino Unido).

Em 2006 ingressou no cinema como Produtor Associado  e Coordenador de Produção do documentário de longa metragem “CAPOEIRA: FLY AWAY BEETLE”, premiado com o SILVER AWARD no PHILADELPHIA INTERNATIONAL FILM FESTIVAL AND MARKET.  Desde então Márcio vem trabalhando em diversas produções áudio visuais que dialogam com o universo histórico e cultural dos descendentes de africanos no Brasil.

Em 2014 atuou como Diretor e Roteirista no documentário “ESCRAVOS E SANTOS” premiado como MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA METRAGREM no BLACKSTAR FILM FESTIVAL 2015, conquistando também MENÇÃO HONROSA no LOS ANGELES BRAZILIAN FILM FESTIVAL 2015. Em 2018, Márcio tornou-se Mestre Multidisciplinar em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia, cujo trabalho resultou no livro “O EFEITO NEGRO ENCANTADO” agora publicado:    

https://www.queerlivros.com.br/o-efeito-negro-encantado-representacoes-etnico-raciais-na-era-obama

 

Comente esta matéria